Uma vida em segredo


"Não vi mundo. Pouco vi. Mas li vidas em segredo. E dentro de mim, uma canção, tão absurda e sincera quanto Biela, ficou. Vismundo, então."

Minha pequena despedida ao autor de Uma vida em segredo, Autran Dourado. Que das páginas de um livro me trouxe o barulhinho bom da água fresca percorrendo o monjolo, de gosto do mel puro e do abismo insondável daqueles que nos parecem simples demais. Do espanto que nos causam os que insistem em, simplesmente, ser.
E conseguem.



Apenas mais uma dessas histórias meio tristes, meio absurdas, mas que comprovam o quanto a literatura nos faz bem.

Autran Dourado 
1926 - 2012

2 comentários:

  1. Eu gosto tanto de Autran Dourado, me apaixonei primeiro pelo livro Ópera dos Mortos, é incrível, quando tiver tempo tenho que reler. Saudade de quem faz literatura assim!

    ResponderExcluir
  2. Daniele, este eu não li, agora que você comentou, já vai para a lista.

    ResponderExcluir